Home Tags Tags do post "terceira idade"

terceira idade

0 229

Particularmente, eu adoro uma boa refeição. Amo comer bem, sentar numa mesa bonita e bem posta, com uma ótima companhia ao lado, num ambiente agradável, tocando uma boa música de fundo… Hmmm, esse é o tipo de momento especial que costumo preservar na minha vida há muito tempo.

Sinto que o prazer de degustar todo e qualquer alimento não é uma tarefa simples, pois requer uma entrega de quem está vivendo o momento e da mesma forma, de quem o preparou. Me recordo quando os alimentos congelados chegaram na cozinha da minha casa há muitos anos atrás… Talvez vocês também se recordem deste momento nas vidas de vocês, pois foi uma grande mudança para o mundo gastronômico e com certeza para a evolução da sociedade.

No entanto, eu como uma boa Ageless, sinto que com o mundo mudando tantas vezes nós tivemos de adaptar as nossas rotinas atribuladas com a praticidade do dia a dia, levando-nos assim a perdermos um pouco do “savoir-faire” de uma boa refeição. Com isso, não apenas o alimento orgânico ou natural começou a deixar de estar presente em nossas dispensas, mas o modo como encaramos a vida também se modificou.

Entendo que saúde e boa alimentação nem sempre foram encaradas como sinônimos, no entanto, certos hábitos alimentares modernos nos fizeram atentar ao que estamos consumimos como alimento, afinal, a nossa saúde é uma riqueza que muitas vezes não conseguimos mensurar toda a sua importância até atingirmos determinadas idades onde o corpo começa a carecer dela. Por isso, eu afirmo que o prazer de uma refeição precisa estar atrelada aos cuidados necessários do preparo do alimento, da escolha dos ingredientes, de como os consumimos e com a velocidade em que nos relacionamos com ele. Comer faz muito bem, porque não alimenta apenas o corpo, alimenta também a nossa alma.

Será que o quê vocês estão consumindo ultimamente é algo saudável? Que tipo de alimento estão alimentando as mentes, os corpos e a alma de vocês? Certos hábitos podem ser alterados e regulados para o nosso bem! Assistam este TED com a palestra do Kau Mascarenhas, ela é bem especial e pode ajudar você a começar a se alimentar melhor (seja de informação, de vida, ou de alegria).  

0 317

Já falamos aqui no blog sobre o conceito de Ageless. Trata-se daquelas pessoas que não mudam seu estilo de vida por conta da idade. Quer dizer, mudam sim, já que a vida é uma constante mudança, mas não assumem papéis e atividades que a sociedade associa à idade que têm.

Nós, Ageless, continuamos trabalhando, curtimos os filhos, os netos, praticamos atividade física, saímos com os amigos, curtimos o marido, cuidamos da nossa saúde, dentre muitas e muitas outras atividades. Ufa! Cansa só de falar. Pois é, a vida de uma ageless é agitada. E não é fácil conciliar a agenda com todos os compromissos que assumimos. Por isso, este é nosso assunto de hoje. Abaixo, vamos discutir alguns tópicos e refletir sobre como organizar o tempo.

 

Trabalho na terceira idade

Nem todas as mulheres, quando chegam a uma idade mais avançada, querem se aposentar. Muitas têm prazer no trabalho ou precisam daquela renda para manter seu estilo de vida. Isso é muito legal, mas é preciso equilíbrio para que o corpo e a alma não sofram. Afinal, depois da labuta a vida segue! Precisamos dar conta da família, ajeitar as coisas da casa e ter um tempo para o lazer.

Claro que há alternativas para isso. Uma delas é reduzir a carga horária, após uma conversa com o chefe. Outra é trabalhar como autônoma. Por meio do regime de Microempreendedor Individual, por exemplo, temos a oportunidade de pagar uma taxa mensal baixa, pouco mais de R$ 50, emitir notas e prestar serviços. Pode ser uma boa oportunidade para fazer render os anos de experiência profissional por meio de cursos, prestação de serviços, consultoria ou trabalhos eventuais. Vale também rentabilizar aquele hobbie que sempre foi deixado de lado ao longo da vida. Mil e uma oportunidades!

Tudo isso, claro, sem esquecer de cuidar da saúde. Não podemos assumir jornadas que o corpo não tenha condições de aguentar. Para isso, é preciso encaixar as atividades físicas, a alimentação saudável e os check ups na agenda.

 

Gerenciando o tempo com os filhos e netos

As mulheres que têm filhos sabem como é complicada a gestão do tempo. Mesmo que eles já tenham saído de casa, sempre aparecem para visitas inesperadas ou contam conosco para cuidar dos netos. Isso é muito prazeroso, claro! Que delícia poder curtir os netos e ainda poder ajudar os filhos. Porém, precisamos estabelecer limites.

Os filhos e familiares precisam entender que temos nossos próprios compromissos e que vamos reservar um tempo para eles, mas precisam respeitar nossa rotina. Uma boa conversa, com carinho e negociação, resolve o caso. Isso vale também para nós mesmas também. Precisamos negociar internamente o que podemos aceitar e o que precisamos rejeitar para não sacrificarmos nossa felicidade.

 

Dica: Este texto, do blog Vida em Equilíbrio, fala sobre o Esgotamento psicológico. Vale a leitura para aquelas pessoas que muitas vezes se sentem fracas e desanimadas. É preciso ter equilíbrio nas nossas decisões.

 

Prioridades

Palavra importante esta, não é? Ter prioridade é essencial na vida de uma ageless. A cabeça dessa mulher está a mil, trabalha bastante e participa de vários projetos porque sente vontade de se envolver com tudo, mas o corpo reclama e acaba faltando tempo para fazer tudo que gostaria.

Uma dica que funciona é estabelecer metas e, a partir disso, dividir em atividades que possam ser realizadas no dia, na semana e no mês. Dessa forma, incorporamos essas tarefas na rotina e conquistamos nossos objetivos. Essas metas podem ser: ler mais livros, ganhar mais massa muscular, aprender a tocar violão, passar mais tempo com os netos etc etc.

Também é legal estabelecer algumas coisas que você deve fazer periodicamente: toda semana, todo mês, todo ano… pode ser um exame médico, uma ida ao cinema, uma visita a uma amiga. Esse planejamento não serve para restringir. Serve para nos ajudar a guiar nossas escolhas para fazer tudo que queremos. Vai acabar aquela história de: “nossa, não lembro a última vez que fui ao teatro”, por exemplo.

 

Dica: a marca Carinhas fez um planner bem legal para organizar a rotina. Baixe o arquivo por este link.

rotina-e-liberdade-carinhas

 

Não esqueça o seu bem-estar

Diante de todos esses compromissos, é importante respeitar o seu bem-estar. Nossa rotina, principalmente das ageless, somos nós que determinamos. Não é porque estamos mais velhas que vamos necessariamente fazer aulas de artesanato ou de culinária. Elas são uma delícia, claro, mas para quem gosta. Temos que respeitar nossas vontades e partir para o que nos faz feliz. Vale praticar um novo esporte, fazer um curso de idiomas ou uma aula de programação. Não temos precisamos de limites!

 

Dica: o filme Um Senhor Estagiário é bem interessante para refletir sobre o local dos Ageless na sociedade. No filme, o viúvo Ben Whittaker (Robert De Niro), aposentado e entediado, decide entrar em um programa de estágio em uma empresa moderna. No final, além de aprender muito e de fazer novos amigos, ele usa sua experiência e sabedoria para mudar para melhor a vida de todos ao seu redor.

 

 

Aproveite a experiência que os anos te deram para fazer escolhas que te façam feliz! Essa é a melhor maneira de aproveitar o tempo de uma ageless.

0 349

Olá! Hoje nosso tema é a menopausa.

Não importa a idade mental, o corpo sempre sente os efeitos dos anos vividos. Geralmente entre os 40 e os 55 anos nós mulheres vivemos a menopausa, etapa em que se encerram os ciclos menstruais e ovulatórios. Junto com o final do período reprodutivo, vêm também mudanças nos hormônios. Com o tempo, o organismo reduz a produção de estrogênio e progesterona. E como isso faz diferença!

Para que fique mais claro, trouxe para vocês os principais termos sobre a menopausa, com base no Guia da Menopausa:

 

Perimenopausa é o intervalo, que pode ser de vários anos, que antecede a menopausa natural, quando têm início as alterações corporais.

Menopausa natural é a menopausa que ocorre naturalmente, por volta dos 51 anos, sem intervenção de tratamentos ou cirurgias. Geralmente, é confirmada após 12 meses sem menstruação.

Pós-menopausa é o período após a menopausa.

 

Dica: Confira o Guia da Menopausa, uma publicação em parceria da Associação Brasileira do Climatério (SOBRAC) com a NAMS (Sociedade Americana de Menopausa). O material é cheio de informações importantes para entender esse momento da vida.

 

Durante a menopausa, as mulheres se deparam com uma série de mudanças no organismo. Vêm aquelas ondas intensas de calor, ressecamento vaginal, redução da libido, perda de massa óssea, diminuição da atenção etc. É muito comum também as alterações de humor, irritabilidade e aumento da sensibilidade. Claro que cada mulher vive a menopausa de uma maneira, já que cada organismo é único.

Os efeitos físicos são também acompanhados de efeitos psicológicos. Afinal, a idade em que acontece esse efeito muitas vezes é também a fase em que mães se deparam com os filhos crescidos e que esposas precisam lidar com questões importantes no casamento. A menopausa não é um período isolado. Ela está intrinsecamente ligada a tudo que a mulher viveu até aquele momento.

Comecei a sentir os efeitos da menopausa aos 44 anos. Foi cedo. Mesmo sabendo que isso existia, confesso que fiquei surpresa. Não acreditava que as mudanças seriam tão intensas como foram: meus cabelos foram ficando ressecados, ganhei peso, meu metabolismo ficou mais lento, isso sem contar os calorões e as irritações. Lidar com isso não foi uma tarefa fácil, assim como para várias amigas, com quem conversei sobre o assunto.

Como eu “superei” a menopausa

Para mim, o mais difícil foi aceitar a mudança no corpo. Sempre fui magrinha e, com os anos, fui vendo os quilinhos se acumularem e a estrutura do corpo mudar: tórax e costas ficam mais largos, o estômago dilata e curvas ficaram menos delineadas. Não foi fácil manter a auto-estima, mas fazer o quê? Não dá para ficar triste o resto da vida, né? Trabalhei bastante o assunto na terapia e assumi a “nova Miréia”.  

Eu com os filhos pequenos.

Eu com os filhos pequenos.

Outro aspecto que me ajudou muito foi a reposição hormonal. Não foi uma decisão fácil. Há muitas controvérsias, já que algumas pessoas afirmam que o tratamento faz bem e outras falam que faz mal. Depois de um bom período de pesquisa e de conversar muito com especialistas, escolhi realizar o tratamento. Para o meu caso, foi muito importante. Meus fogachos pararam e minha irritabilidade diminuiu muito.

Há 10 anos, minha médica sugeriu pararmos com os remédios para ver como o corpo reagiria. Jesus! Voltaram os fogachos a mil! Fiquei também com a pele muito ruim. Voltei para o tratamento com hormônios e sigo até hoje. Mas é importante lembrar que faço controle todos os anos, com uma bateria de exames. Faço prevenção e me cuido muito. Antes de iniciar qualquer tratamento, é preciso fazer uma avaliação com especialistas.

 

Tive que superar também a redução na libido. Sou casada há 40 anos, então precisei aprender a criar um clima e a gerar estímulos para manter uma vida sexual saudável.

Dica: Para apimentar a relação, busque filmes eróticos, prepare um jantar romântico e abra uma deliciosa espumante!

 

Precisei me conscientizar de que estou mais velha. Afinal, todas as mulheres passam por isso, não apenas eu. Nós acabamos aprendendo a lidar com a situação e a se adaptar. Em relação aos cabelos e à pele, sou muito vaidosa. Por isso, uso cremes de boa qualidade e adequados à minha idade.

 

Faço também drenagem linfática semanalmente, para poder expelir os líquidos acumulados no corpo.

menopausa-drenagem-linfatica

Faço drenagem toda semana para reduzir a retenção de líquidos.

 

A menopausa é um período de mudança. Que tal aproveitar essa transição da melhor forma possível? Descubra o que te faz bem, explore novas atividades físicas, novos tratamentos de beleza e aprenda a se amar! Abra seu coração em casa, com seu parceiro e com a sua família. Não reprima seus sentimentos e busque formas de melhorar o que não está bom.

Menopausa não precisa ser um fardo! É mais uma fase maravilhosa da vida, com novos desafios e oportunidades. Vamos aproveitar?